• Karina Rebelo

Inteligência Positiva



Por que só 20% das equipes e dos indivíduos alcançam seu verdadeiro potencial e como você pode alcançar o seu?

Neste artigo quero abordar um tema que é uma das bases de um Líder Cocriativo, Contemporânea, na minha visão, o QP – Quociente de Inteligência Positiva, abordado por Shirzad Chamine no seu livro Inteligência Positiva.

O QP é sua pontuação de Inteligência Positiva, expressado em percentual, indo de 0 a 100. Na prática, seu QP é a porcentagem de tempo em que sua mente age como sua amiga em vez de inimiga: ou, em outras palavras, é a porcentagem de tempo em que sua mente está agindo em seu favor em vez de sabotá-lo. Por exemplo, um QP de 75 significa que sua mente age em seu favor durante aproximadamente 75% do tempo e sabota você durante aproximadamente 25% do tempo. Não contamos os períodos de tempo em que sua mente está em território neutro.

Sua mente é sua melhor amiga, mas também é a sua pior inimiga. A Inteligência Positiva mede a força relativa destes dois modos da sua mente. Uma Inteligência Positiva Alta significa que sua mente age como sua amiga bem mais do que como sua inimiga. Portanto, a Inteligência Positiva é uma indicação do controle que você tem sobre sua própria mente e o quão bem sua mente age em seu próprio benefício. Deveria ser relativamente fácil ver como seu nível de Inteligência Positiva determina o quanto de seu verdadeiro potencial você realmente alcança.

Para ilustrar, quando sua mente diz que você deveria fazer o seu melhor para se preparar para a reunião importante amanhã, está agindo como sua amiga. Quando ela o acorda às três horas da madrugada, ansiosa por causa da reunião e repetindo em disparada pela centésima vez as muitas consequências do fracasso, está agindo como sua inimiga; está simplesmente gerando ansiedade e sofrendo sem qualquer valor compensado. Nenhum amigo faria isso.

Pesquisas revolucionárias atuais em neurociência, ciência organizacional e psicologia positiva validam os princípios da Inteligência Positiva e o relacionamento com desempenho e felicidade. Como mencionado, o QP mede a porcentagem de tempo em que seu cérebro trabalha positivamente (a seu favor) versus negativamente (sabotando você). Seguem algumas das descobertas destas pesquisas:

· Uma análise de mais de 200 estudos científicos diferentes, que coletivamente testaram mais de 275 mil pessoas, concluiu que um QP maior leva a salários maiores, maior sucesso na área de trabalho, casamento, saúde, sociabilidade, amizade e criatividade.

· Vendedores com QP maior vendem 37% mais do que os colegas com QP menores.

· Negociadores com QP maior têm mais probabilidade de conseguir concessões, fechar negócios e construir futuros relacionamentos de negócios como parte dos contratos que negociam.

· Trabalhadores com QP mais alto faltam menos por doença e têm menos probabilidade de se sentirem sobrecarregados e de pedirem demissão.

· Médicos que mudaram para um QP maior fazem diagnósticos 19% mais rápido.

· Estudantes que mudaram para um QP maior saem significativamente melhor nas provas de matemática.

· Líderes com QP maior têm mais probabilidade de liderar equipes felizes que relatam a atmosfera de trabalho como sendo propícia a um bom desempenho.

· Gerentes com QP maior são mais precisos e cuidadosos ao tomar decisões e reduzem o esforço necessário para que o trabalho seja feito.

Pesquisas inovadoras em psicologia e neurociência derrubam a suposição generalizada de que precisam trabalhar duro para conseguirmos ter sucesso e então sermos felizes. Na realidade, aumentar seu QP resulta em mais felicidade e melhor desempenho, o que leva ao maior sucesso. O sucesso sem felicidade é possível com um baixo QP. Mas o único caminho para o sucesso pleno com felicidade duradoura é por meio do QP alto.

Com relação aos sabotadores são nossos inimigos internos. São um conjunto de padrões mentais automáticos e habituais, cada um com sua própria voz, crença e suposições que trabalham contra o que é melhor para você, impactando no QP baixo.

A questão não é se você os tem (os sabotadores), mas quais tem e o quão fortes são. Eles são universais (existem em todas as culturas, faixas etárias e nos dois gêneros) porque estão ligados às funções do cérebro que se concentram na sobrevivência. Cada um de nós desenvolve sabotadores desde a infância para conseguir sobreviver às ameaças que percebemos na vida, tanto físicas quanto emocionais. Quando chegamos à idade adulta, esses sabotadores não são mais necessários, mas se tornaram habitantes invisíveis da nossa mente. Em geral, nem sabemos que existem.

Aqui está uma breve descrição de alguns Sabotadores, com a intenção de dar a você uma ideia de como cada um funciona. Você vai aprender a identificar seus Sabotadores mais ativos:

O CRÍTICO: é o principal Sabotador, o que afeta todo mundo. Ele leva você a constantemente encontrar defeitos em si mesmo, nos outros e nas suas condições e circunstâncias. Gera a maior parte da sua ansiedade, estresse, raiva, decepção, vergonha e culpa. A voz dele costuma ser confundida com a voz da razão em vez de o Sabotador destrutivo que realmente é.

O INSISTENTE: é a necessidade da perfeição, ordem e organização levado longe demais. Ele deixa você e os outros ao seu redor ansiosos e nervosos. Drena a sua energia ou a dos outros com medidas extras de perfeição que não são necessárias. Também faz você viver constante frustração com você e com os outros pelas as coisas não estarem perfeitas o bastante.

O PRESTATIVO: obriga você a tentar ganhar aceitação e afeição ao ajudar, agradar, salvar ou elogiar os outros constantemente. O resultado é que ele faz com que você perca de vista suas próprias necessidades e se ressinta dos outros.

O HIPER-REALIZADOR: deixa você dependente de desempenho e realizações constantes para ter respeito e validação próprios. Ele mantém você concentrado principalmente no sucesso exterior em vez de no critério interior para felicidade. Costuma levar a tendência de vício em trabalho e faz com que você perca contato com as necessidades emocionais e de relacionamento mais profundas.

A VITIMA: quer que você se sinta emotivo e temperamental como forma de ganhar atenção e afeto. Ele resultado em um foco externo em sentimentos internos, principalmente dolorosos, e pode muitas vezes resultar em uma tendência a se martirizar. As consequências são que você desperdiça sua energia mental e emocional, e os outros se sentem frustrados, impotentes ou culpados de nunca conseguirem fazer você feliz por muito tempo.

O HIPER-RACIONAL: coloca um foco intenso e exclusivo no processo racional de tudo, incluindo relacionamentos. Ele faz com que você seja impaciente com as emoções das pessoas e as veja como indignas de muito tempo e consideração. Quando está sob a influência deste sabotador, pode ser visto como frio, distante ou intelectualmente arrogante. Ele limita a sua profundida e flexibilidade em relacionamentos no trabalho e em sua vida pessoal e intimida pessoas com mentes menos analíticas.

O HIPERVIGILANTE: faz você sentir ansiedade intensa e contínua em relação a todos os perigos que cercam você e em relação a tudo o que poderia dar errado. Ele fica constantemente em estado de alerta e nunca pode descansar. Isso resulta em uma grande quantidade de estresse contínuo que exaure você e os outros.

O INQUIETO: está constantemente em busca de emoções maiores na próxima atividade ou mantendo-se sempre ocupado. Ele não permite que você sinta muita paz e alegria com sua atividade atual. Dá a você uma contínua série de atividades que o faz perder o foco nas coisas e nos relacionamentos que realmente importam.

O CONTROLADOR: funciona movido a uma necessidade ansiosa de estar no comando, controlar situações e dirigir as ações das pessoas de acordo com a vontade dele. Ele gera alta ansiedade e impaciência quando isso não é possível. Na visão do Controlador, ou você está no controle, ou está fora de controle. Enquanto o controlador permite que você consiga resultados em curto prazo, ele acaba gerando ressentimentos nos outros em prazos mais longos e impede que eles exercitem e desenvolvam as suas capacidades.

O ESQUIVO: se concentra no positivo e no prazeroso de uma maneira extrema. Ele evita tarefas difíceis e desagradáveis e conflitos. Ele leva você aos maus hábitos de procrastinar e fugir dos conflitos. Isso resulta em explosões nocivas, em conflitos sufocados que foram deixados de lado, e provoca atrasos na conclusão das coisas.

Como enfraquecer seus sabotadores?

Enfraquecer o Sabotador envolve identificar que padrões de pensamento e emoção vêm de seus Sabotadores e ver claramente que eles não são bons para você. Tipicamente, esses Sabotadores se justificam e fingem que são seus amigos, ou pior ainda, fingem que são você.

Tudo o que precisamos fazer é reconhecer os padrões de pensamento e sentimentos deles e rotulá-los quando surgirem. Exemplo: “Ah, o Crítico voltou para dizer que vou fracassar”. Confronte o Sabotador, veja a sua lógica e busque um comportamento mais positivo para realizar.

Agora pense em um ambiente corporativo. Quantos sabotadores estão instalados na cultura para fomentar justificativas sem lógica? Existem técnicas do Coaching Executivo e capacitações customizadas da Provoko que auxiliam as organizações na busca do desenvolvimento das pessoas e no alinhamento do clima organizacional com propósitos claros, elevando o QP organizacional e dos profissionais.

14 visualizações
CONTATE-NOS
LOCALIZAÇÃO

(51) 98111-9565

 

Campo Bom / RS

 

contato@provoko.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2020 por Unidade Branding.