• Karina Rebelo

Como trazer à tona o seu potencial! (PARTE 2)

No processo de autoconhecimento, saber olhar para nós mesmos passa a ser um grande desafio, pois são nossas atitudes conscientes e inconscientes que constroem a nossa imagem nas relações. Estas atitudes, que em muitos casos são automáticas (nem percebemos mais), estão nos levando aos nossos objetivos ou nos afastando deles?

Descubra, olhando para dentro de você, quais as suas qualidades e potencialidades e as fortalezas. Na nossa sociedade não fomos educados e acostumados a fazer isto. Parece que é um ato arrogante. Vemos muito mais pessoas pensando no que precisam melhorar que acabam esquecendo-se dos seus pontos fortes. Este equilíbrio é importante quando falamos de buscar nossa força latente interna.

Podemos usar uma técnica de coaching que pode auxiliar nessa análise, ela se chama matriz SWOT pessoal. Responda os questionamentos em cada quadrante. Tente encontrar no mínimo 5 pontos em cada questão, quanto mais profunda a sua reflexão, mais assertivo e agente de mudança você será:

A partir deste quadro, responda a você as seguintes perguntas:

· Se eu continuar com as minhas fraquezas, irei alcançar os meus sonhos?

· Para que eu possa trabalhar minhas fraquezas e sabotadores, que ações posso realizar de maneira positiva no meu ambiente para poder mudar uma postura ou situação, fortalecendo minhas qualidades?

· O que hoje estou deixando de realizar devido aos meus medos, sabotadores e com isto, perdendo grandes oportunidades?

Estabeleça seu plano de ação prático, considerando: o que fazer, como, quem mais será envolvido na ação, recursos (se haverá necessidade de investimentos), quando fazer cada ação (tempo definido e acrescido na agenda).

Acompanhe cada conquista. Vibre a cada etapa alcançada, mesmo que pequena. Escolha um ou dois pontos a serem trabalhados e que tenham importância, relevância para o alcance dos seus objetivos. Lembre-se que a qualidade das ações é superior a quantidades de ações realizadas.

As pessoas querem logo resolver tudo de uma vez, mas o cérebro precisa reconhecer que aquela mudança é importante, positiva e consistente, caso contrário, ela volta a fazer como era antes, podemos dizer que volta para a zona de conforto. Acreditar, ter foco, parar para se autoconhecer são os pontos cruciais para potencializar o que há de melhor dentro de você. Seja protagonista das suas escolhas, da sua história, desligue o automático e desperte a percepção.

Mas por que será que poucas pessoas trabalham diariamente na busca de suas metas? Segundo Brian Tracy, no seu livro Metas, acredita-se que pode ser devido a quatro razões:

· Porque as pessoas não estabelecem metas: A maioria das pessoas não se dá conta da importância das metas e de se comprometer com elas. As metas lhe responderão se você está alcançando seus objetivos e propósitos pessoais e profissionais.

· Porque as pessoas não sabem fazer: muitas pessoas fixam suas metas a sonhos e desejos, sem mensurá-las, sem definir o passo-a-passo para alcançá-las.

· Porque tem medo do fracasso: o fracasso dói. É algo doloroso e angustiante tanto do ponto de vista emocional quanto, não raro, financeiro. Todos nós passamos pela experiência do fracasso de tempos em tempos. O fracasso não pode ser visto como obstáculo para continuar, mas sim como aprendizado para avançar mais confiante e preparado.

· Porque têm medo da rejeição: Temem que, se fixarem uma meta e não tiverem êxito, serão alvo de críticas ou zombaria. Por isso, você deve manter as suas metas em segredo quando começar a estabelecê-las. Deixe que os outros vejam o que conseguiu.

Mantenha seus pensamentos positivos, focado no que você quer. Quando focamos o positivo, colocamos o nosso corpo todo em alerta; o nosso cérebro se ilumina, ativando mais áreas, estimulando a busca de novas alternativas através das conexões internas.

Para se ter uma visão mais clara dos seus comportamentos e dos resultados que estas obtendo no seu meio, uma dica é buscar feedback de pessoas que você possui confiança. Peça a elas para descrevem a sua pessoa. Ouça, busque compreender os momentos em que age de tal forma, mas sem justificar, caso contrário você não terá um retorno real de como as pessoas o percebem. A percepção do outro é construída a partir de como você se comunica, analise como você se expressa. Leve as informações para pensar. Coloque em uma balança e veja o quanto elas te impulsionam para seus objetivos ou te puxam para baixo.

Uma frase muito conhecida, de Albert Einstein é “A maior insanidade do homem é Saber que a mudança é necessária, mas querer que ela parta do outro”. É se perceber no contexto e analisar os resultados que estás obtendo com esses comportamentos. As mudanças principais partem de nós. Pelos exemplos contagiamos pessoas, provocamos movimentos no ambiente a partir da nossa atitude.

Toda pessoa tem o direito a felicidade. Buscar o seu potencial latente, é focar em equilíbrio, na disciplina, nos objetivos, nas metas. A felicidade é subjetiva. Encontrar a felicidade depende de cada um de nós como indivíduos, sem esquecermos nossos objetivos, propósitos e essência de vida. Faça a diferença nas organizações, na sociedade e na sua vida, seja protagonista!

26 visualizações
CONTATE-NOS
LOCALIZAÇÃO

(51) 98111-9565

 

Campo Bom / RS

 

contato@provoko.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2020 por Unidade Branding.